O que as marcas devem fazer durante e pós-pandemia?
leitura

O que as marcas devem fazer durante e pós-pandemia?

O estudo “As marcas e o Covid-19”, desenvolvido em abril pela Evolv e INMIX, compilou algumas sugestões de práticas para ajudar as marcas a se preservarem e fortalecerem durante a pandemia de coronavírus. 

Com o objetivo de otimizar as ações e maximizar os resultados, o estudo dividiu as práticas de acordo com o prazo - curto, médio e longo -, para que as empresas possam atualizar suas culturas de acordo com a situação atual e as tendências de comportamento. Confira abaixo:

O que posso fazer hoje?

Diante dos acontecimentos atuais e das mudanças impostas à sociedade, as marcas que vão se sobressair são aquelas que melhor e mais rapidamente se adaptarem às novas condições, por isso é tão importante que a mesma se atente ao que está acontecendo no mundo para poder se adequar dentro da sua realidade.

Em um primeiro momento, é necessário tomar decisões em prol da sociedade, que ajudem a empresa, o cliente e os colaboradores. Seja mais flexível, resiliente e mantenha o foco.

Muitas empresas se encontram em um dilema em relação à comunicação da marca: devo continuar anunciando meus produtos? Como posso me comunicar sem agredir? Em um momento delicado como o que estamos vivendo, se relacionar com o cliente é essencial e comunicar a venda direta de produtos pode soar oportunista, bem como apelar para o emocional pode implicar falta de seriedade. No entanto, é compreensível que a empresa queira vender, afinal, uma marca é feita de pessoas e estas têm suas necessidades a serem supridas - a dica é redobrar a atenção sobre o tom da mensagem e, também, comunicar os benefícios do produto e promoções.

Sugestões de práticas a serem adotadas a curto prazo:

  • Colabore e seja generoso: pense na empresa como um todo e, também, em formas de como ajudar a sociedade.

  • Operação online: utilize a internet e a tecnologia a favor do seu negócio. Pesquise quais plataformas e apps você pode utilizar para gerenciar projetos, compartilhar tarefas e fazer reuniões, entre outras atividades que podem ser adaptadas.

  • Líderes, incentive a sua equipe: em tempos de incertezas e inseguranças, o cuidado com as pessoas é essencial para amenizar a negatividade.

  • Empatia com os clientes: seja flexível também com o seus clientes, repense as regras e políticas de trocas e cancelamento e mantenha um canal de atendimento.

  • Humanize a sua marca: conte a história do seu negócio e de como surgiu a ideia, mostre as pessoas que fazem a sua marca, conte os erros e acertos - mostre o lado humano para gerar aproximação.

 

O que posso fazer para me planejar?

As estratégias a médio prazo devem ser focadas em inovar criativamente, acelerar as mudanças ao máximo que puder e digitalizar a empresa (operação, comercial e comunicação), dentro das suas possibilidades. Outra dica é contextualizar toda a comunicação da marca, de modo a reforçar a importância da mesma nesta realidade, mantendo a empatia ao que todos estamos vivendo.

Ideias a serem implementadas a médio prazo

  • Reveja o propósito da sua marca: analise se o propósito ainda é coerente com a situação atual.

  • Parcerias: esse é o momento ideal para considerar uma parceria e co-branding. Procure uma empresa cujos valores estejam alinhados com os seus e cogite uma ação juntos.

  • Atualize o site, as redes sociais e a apresentação institucional: aproveite para atualizar o site e os canais do seu negócio, tanto em relação ao visual quanto ao conteúdo. Atualize, também a apresentação institucional.

  • Live streaming: considere fazer alguma live ou webinar com parceiros.

  • Planeje as estratégias que você estava procrastinando: análise as ideias que ainda não foram postas em prática e reveja como atualizá-las conforme o cenário atual.

 

O que posso fazer na hora da retomada?

Comece a planejar o seu negócio no mundo pós-coronavírus, projetando a sua realidade nesse contexto. Foque a estratégia no seu melhor produto/serviço ou no diferencial da sua marca e monte um plano de ação em cima desta estratégia. A rotina e os hábitos das empresas passarão por mudanças, bem como dos clientes, então a construção da nova cultura deverá ser diária e atenta a essas transformações.

E lembre-se: uma cultura forte e a capacidade de se adaptar são essenciais para o futuro da empresa.

O esperado é que as pessoas se tornem mais conscientes de suas ações e do impacto destas na sociedade, bem como da importância de cooperação - estamos todos juntos nessa, não é hora de competir, mas sim de colaborar. A vulnerabilidade do ser humano, tão intrínseca à sua essência e que há tempos vinha sendo camuflada - os super-homens uniformizados e as mulheres-maravilhas que dão conta de tudo -, deverá ser relembrada num futuro pós-pandemia.

Clique aqui e baixe o estudo completo!

mais posts