Desmistificando o marketing de afiliados
empreendedorismo

Desmistificando o marketing de afiliados

Por Bruna Nobre

A internet é uma ferramenta democrática. É inegável que esse espaço está dando cada vez mais voz para as pessoas, além de ser uma fonte de conteúdo infinita. Assim, muitas pessoas têm conseguido divulgar suas opiniões, dicas, artes e incontáveis outros conteúdos por meio de plataformas digitais. 

Hoje, após três anos trabalhando no mercado de marketing de afiliados, o que me motiva a escrever textos como este é o fato de que muitas pessoas desconhecem que é possível monetizar o seu conteúdo através da internet. Quem já cria conteúdo pode aproveitar o engajamento mais consolidado com o público para começar a ganhar dinheiro com o seu blog, redes sociais, ou qualquer outro espaço de divulgação online que você tenha com o marketing de afiliados.

Ok, neste momento pode parecer muito clichê, mas acredite: esse tipo de remuneração é utilizado mundialmente há anos por grandes marcas como Amazon, Nike, Sephora, Walmart, entre outras. Recentemente, por conta do cenário da pandemia, foi a solução utilizada para diversas pessoas obterem uma renda adicional ou substituta. 

Como sei que esse tipo de informação pode ajudar muita gente a desenvolver ainda mais suas mídias online, quero explicar o conceito básico, os primeiros passos e desmistificar o que para muita gente pode parecer um bicho de sete cabeças, quando, na realidade, não é. 

First things first: o que é Marketing de Afiliados?

 Basicamente, são plataformas que possuem parcerias com grandes anunciantes, como citei acima. Atualmente, trabalho na Rakuten Advertising, uma das maiores redes de afiliados do mundo que conta com parceiros como Sephora, Dafiti, Zattini, Netshoes, Nike, Grupo Boticário, Avon, Hering, Aliexpress e muitos outros. Há outras plataformas de afiliados similares no mercado, como a Hotmart, Awin, Lomadee e Afilio, além de marcas que possuem suas próprias plataformas como a Amazon com seu programa Associados Amazon e a Natura com o Promo Afiliados.

Quem são os afiliados?

Os afiliados, por sua vez, são empresas e pessoas que possuem espaços de mídia online. Sabe aquele site de cupom em que você usa o código antes de finalizar uma compra? Sim, ele está usando o marketing de afiliados para ser remunerado, assim como algumas áreas dos portais de conteúdo/notícias, influencers, youtubers, aplicativos, enfim - qualquer espaço online.

E como eles ganham dinheiro? 

Simples: ao fazer parte de uma plataforma de afiliados, você pode divulgar links trackeados dos anunciantes. Links trackeados são links que identificam qual afiliado está por trás da divulgação do site do anunciante. Pode ser a página inicial de um produto, de uma promoção, etc. A cada venda feita por esses links, o afiliado ganha uma porcentagem do valor desta compra como comissão.

Exemplo de um ciclo de vendas:

  1. O afiliado posta um link trackeado de um produto em seu blog.

  2. O leitor do post gosta do produto, clica no link e vai para o site do anunciante.

  3. O leitor realiza a compra - não necessariamente o mesmo produto que foi postado. O afiliado será remunerado por qualquer produto que o leitor comprar no anunciante, desde que ele tenha entrado no site pelo link trackeado.

  4. O afiliado ganha comissão pela compra. O mais comum é a remuneração pela venda em si, mas, em alguns casos, também é considerado o click que levou o leitor até o site do anunciante.

Caso ainda precise de outro exemplo, vou ousar fazer uma comparação: sabe aqueles links de "convites" ou "indicação" de aplicativos como Uber, Rappi, Airbnb e afins, que você compartilha com seus amigos e se algum deles se cadastrar ou fizer uma compra, você ganha uma recompensa? Pois, então! Apesar de serem programas de indicação, eles usam uma lógica semelhante ao Marketing de Afiliados. 

Por se tratar da divulgação de um link, fica muito fácil: você pode divulgar em qualquer lugar que suporte uma URL: em textos de blog, no "arraste para cima" do stories do Instagram, no seu link na bio, na descrição de vídeos no YouTube, QR code em vídeos, chats em lives e até mesmo enviando os links por mensagem em grupos do WhatsApp, Messenger, Telegram, entre outros grupos, páginas e perfis do Facebook, banners...ufa! Possibilidades infinitas!

Apesar de ser simples, o marketing de afiliados sempre foi muito buscado majoritariamente por empresas focadas em performance - como sites de cupons, cashback, aplicativos, etc. Porém, por conta do período de pandemia, estamos sendo cada vez mais procurados por pessoas físicas que possuem algum espaço que possa ser um veículo de divulgação online. Assim, mesmo que você esteja começando agora o seu negócio, pode investir no marketing de afiliados e aproveitar a longa duração dos links.

Há, também, o interesse de pessoas que gostariam de atuar como “revendedoras”. Vendo esta oportunidade, empresas como a Hering (com o Somos Hering) e quem disse, berenice? (com o Chega+) lançaram seus programas próprios de afiliados voltados para pessoas físicas e, sobretudo, para que seus colaboradores continuassem vendendo e sendo remunerados como consultores, mesmo com as lojas fechadas.

Um dos motivos que me fazem acreditar fortemente neste mercado é que nos últimos anos vi muita gente que fez do marketing de afiliados sua principal fonte de renda. Este foi o caso da Aline Micheletti, que com a ajuda da Rakuten Advertising, impulsionou ainda mais suas vendas com afiliação em seu grupo de ofertas de produtos para bebês e mamães no Facebook. Recentemente, fizemos um vídeo contando um pouco sobre sua história: Case Study - Aline Micheletti / Grupos de Facebook.

Veja quais são os principais benefícios do marketing de afiliados:

  • Criação de novas estratégias de divulgação
    Por se tratar da divulgação de um link, deixe a imaginação te ajudar a encontrar novos espaços que podem se remunerados.

  • Mais possibilidades de monetização
    Sabe aquele post que você já estava planejando criar? Coloque um link de afiliados e garanta algum tipo de remuneração.

  • Mais opções de produtos e conteúdo
    Quando você se conecta a uma plataforma de afiliados, passa a ter acesso a diversas categorias de anunciantes. 

  • Mais independência para divulgar e criar conteúdo
    Fique atento às oportunidades. Agora você é livre para aproveitá-las sem precisar de patrocínio direto do anunciante.

Dicas de como dar os primeiros passos:

  1. Escolha a plataforma de afiliados com a qual vai trabalhar (aconselho a começar com uma até pegar o jeito) e faça seu cadastro. Fique atento, pois não são todas que fazem pagamentos para pessoa física. Na Rakuten Advertising, aceitamos pessoas físicas, assim como algumas outras redes de afiliados e também as plataformas de anunciantes (como Amazon e Natura).

  2. It's a Match! Escolha os produtos e anunciantes certos para divulgar. É importante que tenham sintonia com o que os seus seguidores e audiência buscam. 
     
  3. Se possível, eduque sua audiência sobre a divulgação que você está fazendo, como, por exemplo essa introdução que um dos nossos afiliados do inclui em seus vídeos.
     
  4. Não encane por causa do tamanho da sua audiência - hoje os maiores cases de sucesso estão vindo de microinfluenciadores que possuem 10k como seguidores ou menos, porém possuem uma audiência que realmente engajam com as dicas. Quem nunca postou um look e perguntaram de onde é a blusinha? Está aí a oportunidade de enviar um link trackeado por mensagem para responder a pergunta.

  5. Sem contar que, os links trackeados ficam no ar praticamente para sempre - a não ser que haja uma desistência do anunciante com o programa, mas os afiliados são sempre avisados nesses casos. Assim, mesmo se você não fizer uma conversão em venda hoje, o link estará lá para a posterioridade e poderá gerar futuras comissões durante toda sua vida útil.

  6. Para receber os pagamentos, o ideal é se organizar. Geralmente os pedidos são pagos após a aprovação do anunciante, afinal ele não vai pagar por vendas feitas por boletos que não foram pagos ou vendas que tiveram pedidos de devolução, por exemplo. Cada plataforma de afiliados tem um prazo, regras e um fluxo de pagamentos diferente. Entenda como funciona a rede que você escolheu e se organize a partir dos prazos dela (lembrando que você deve se atentar às que aceitam pagamentos para pessoas físicas, caso você não trabalhe com um CNPJ ou seja MEI – Microempreendedor Individual).

Se você tem um espaço de divulgação na internet, esta é uma super oportunidade de começar a ganhar uma renda extra, sem precisar ser oficialmente patrocinado por uma marca. Há muita oportunidade por aí dando sopa e esta é uma opção que vejo muitas pessoas não considerarem por não conhecerem ou por acharem complicada. E esse é o legal da coisa: além da facilidade, a independência na forma de realizar as divulgações e a possibilidade de monetizar o seu próprio negócio.

Qualquer dúvida, fico mais do que feliz em ajudar. Deixo aqui meu LinkedIn caso queiram aprofundar no assunto.

 

Foto: Barbara Probst

mais posts