dicas

Como aumentar a produtividade no trabalho com a alimentação

Quem concordar conosco, respira: você já viveu aqueles dias de trabalho que simplesmente não dava para se concentrar. Você já viveu aquele momento pós almoço em que seu corpo fica tomado por uma fadiga sem fim. Você já voltou para casa pensando que poderia ter feito mais. Você já teve algum dia não produtivo no trabalho. Acertamos?

Pois muito dessa produtividade vem mesmo da alimentação. Tudo que comemos tem consequências para o nosso corpo, mente, e o aspecto principal desse texto, a energia.

Para nos ajudar a equilibrar nossa alimentação com a produtividade, conversamos com a Dra. Esthela Conde, médica nutróloga da Clínica Conde. E de primeira já procuramos entender o que uma coisa tem a ver com a outra: “O seu corpo precisa de energia para digerir os alimentos. Quanto maior a energia que você consumir, seja comendo demais, ou comendo comidas que sobrecarregam seu corpo, maior será esse esforço e consequentemente menos produtivo você será”, explica.

 

E aqueles dias que você faz a sua hora de almoço, volta para o escritório e sente fome logo depois? Se isso já aconteceu com você, fique tranquila: é absolutamente normal e é só sair perguntando por aí que a maioria das pessoas responderá que já sentiu isso. Para a Dra. Esthela Conde, isso se resolve facilmente com uma dieta equilibrada e balanceada: “Para não sentir forme pós almoço, é importante prestarmos atenção no que colocamos no prato e escolhermos sempre alimentos com liberação constante de energia, alimentos que evitam picos glicêmicos (alta ou baixa taxa de glicose no sangue)”.

Ou seja, se queremos aumentar a produtividade durante o dia, devemos evitar muito açúcar, farinha branca, alimentos de difícil digestão e ricos em gorduras (alô, carboidratos!).

Além da produtividade, outro ponto importante para o trabalho é o foco. Segundo a Dra. Esthela Conde, para potencializar o foco é importante incluir alimentos ricos em ômega 3, que auxiliam nas respostas cerebrais. Além disso, é interessante incluir alimentos com triptofano: “o triptofano é o precursor da serotonina, que é um neurotransmissor que tem diversas funções, como regular o sono, apetite e humor”, explica. Aqui, novamente temos que evitar gordura e carboidratos de alto índice glicêmico.

 

A falta de produtividade no trabalho normalmente vem na parte da tarde. Café, água, chá, lanches, balas e chicletes são alguns artifícios que usamos para nos concentrar. A boa notícia é que o chocolate é liberado: “No lanche da tarde, você pode optar por um chocolate 80%, rico em cacau, que melhora o foco e a concentração. Outra opção são as oleaginosas (castanha do Pará, castanha de caju, amendoim, pistache...)”.

Onde estão as amantes de café aqui? Aqui no #TheCoolestOfficeInTown, temos até revezamento para quem fará o café do dia. E a boa notícia, novamente, é que café é permitido (e inclusive, para aquelas que não gostam, têm outras opções para substituí-lo) mas com algumas restrições. “Alimentos à base de cafeína, como o chocolate amargo, guaraná e chá verde, são interessantes para dar energia. Entretanto, em excesso, a cafeína pode causar ansiedade e estresse, diminuindo a produtividade”, ensina a Dra. Esthela. “Estudos apontam que a maca peruana, as oleaginosas e a aveia também possuem propriedades benéficas para dar energia”, complementa.

 

E, claro, sem esquecer da nossa melhor amiga: a água. A água participa de várias funções importantes no nosso organismo (hidrate-se!) e a Dra. Esthela alerta: “a desidratação atrapalha o desempenho cognitivo” – e é exatamente o que não queremos, certo?

Por fim, o mundo ideal: “Independentemente de ser dia de trabalho ou não, a alimentação ideal é equilibrada e balanceada, com frutas, legumes e verduras, com baixo consumo de açúcar e gorduras ruins", conclui.  

 

mais posts